Se os identitários rejeitam a razão e defendem que tudo o que existe são relações de poder, isto é no máximo um manifesto de sua própria disposição ao irracionalismo, à censura e perseguição pessoal de dissonantes. Deviam, por esta perspectiva, ser encarados como inimigos naturais de uma universidade que ainda acreditasse que seu propósito é a produção de conhecimento (é essa a premissa, aliás, que fez com que a sociedade historicamente aceitasse financiá-la, o que vem mudando, infelizmente). Em vez disso, hegemonizaram já boa parte dela, e só faz piorar.

Justamente por essa mecânica de difamação e ostracização de opositores, poucos se levantam contra nossos ilustrados bárbaros. Aqui, um bom apanhado do fenômeno.”

https://www.bloomberg.com/opinion/articles/2019-09-10/how-comfort-college-dogma-conquered-reason-and-evidence?fbclid=IwAR0mEnGdE1B_EXcopJ2Rw7gL4XN0kvqWlpGfaIgCd4eFOWpUmtQZD384UPM